alimento diário online - terça feira

 

A Economia Divina

O Plano de Deus em nossa Vida

 

Semana 08 – Lições extraídas da vida de José [2] – (Gn 37:6-11; 39:21-23)

 

Terça-Feira – Leitura bíblica:
Gn 37: 6-10; Sl 90: 10, 12; Jo 3: 16; Rm 12: 10; 1 Co 12: 14, 25; 14: 33

 

 

Ler com oração:

"Tendo José dezessete anos, apascentava os rebanhos com seus irmãos; sendo ainda jovem" (Gn 37: 2)

 

A PRIMEIRA LIÇÃO DE JOSÉ - NA CASA DO PAI (1)

Como temos visto, José foi muito útil ao Senhor. Sob o arranjo divino, ele foi treinado para um dia governar sobre toda a terra do Egito. A primeira etapa de aprendizado foi na casa de seu pai, Jacó (Gn 37: 1-36). Ainda jovem, José teve uma visão de que iria reinar (vs. 6-10.). Mas, por não ter maturidade suficiente, foi submetido a diversas circunstâncias que o ajudaram a crescer e amadurecer. Isso mostra que um dos papéis mais significativos dos pais é educar os filhos.

Os pais precisam estar atentos não somente ao aspecto humano de seus filhos, mas também à sua condição espiritual, a fim de formar pessoas equilibradas para a sociedade e úteis nas mãos de Deus. Todas as virtudes evidenciadas no procedimento de José foram resultado de uma boa educação dada por seus pais. Um exemplo disso é o fato de José apascentar os rebanhos com seus irmãos, sendo ainda jovem: ele não era uma pessoa ociosa.

Aplicando para os dias de hoje, o foco dos filhos de Deus deve ser cuidar e pastorear as pessoas. Devemos ter clareza de que a nossa vida passa em um piscar de olhos. Precisamos pedir ao Senhor que nos ensine a contar os nossos dias para que cuidemos do povo de Deus, assim como Ele mesmo tomou conta da humanidade, entregando Seu Filho unigênito (Sl 90: 10, 12; Jo 3: 16)

Em sua juventude, José levava notícias dos erros dos seus onze irmãos a seu pai (Gn 37: 2). Além disso, José relatou os sonhos que tivera aos seus irmãos, dizendo que estes se inclinariam perante ele. Isso gerou ciúmes e ódio em seus corações. O falar precipitado ou sem sabedoria é um princípio equivocado, pois pode gerar invejas e intrigas, e o nosso Deus não é de confusão, e sim de paz (1 Co 14: 33). Na vida da igreja, em nosso relacionamento com os irmãos, devemos procurar evidenciar as virtudes e minimizar os defeitos, assim teremos um ambiente espiritual favorável com harmonia e cooperação entre os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros (Rm 12: 10, 1 Co 12: 25).

Precisamos aprender a lição de não buscar os holofotes para não suscitar inveja e ciúme. O fato de José ter dito a toda família que ela se prostraria diante dele, por um lado, mostrou que José, de fato, estava se sobressaindo a seus irmãos, mas, por outro ângulo, evidencia sua falta de prudência em não guardar o sonho para si, evitando, assim, confusões desnecessárias. Em Provérbios vemos que no muito falar não falta transgressão, mas o que modera os lábios é prudente (10: 19b).

O mesmo princípio vale para os líderes das igrejas, que devem preservar o funcionamento saudável dos membros do Corpo de Cristo, não agindo de forma precipitada, mas com sabedoria, trazendo as revelações em tempo oportuno com palavras adequadas. De igual modo, tampouco devem agir de forma isolada, mas delegar serviços aos demais irmãos segundo a aptidão de cada um, pois a igreja é composta de muitos membros (1 Co 12: 14). Louvado seja o Senhor!

Ponto-chave: Evidenciar as virtudes e minimizar os defeitos.
Pergunta: Por que devemos ser prudentes em nosso falar?

Leitura de apoio:
“Chamados para promover a Fé” – cap. 1 – Dong Yu Lan.
“A nossa esperança não se limita a esta vida” – cap. 3 – Editora Árvore da Vida.

Ouvir o Alimento Diário, durante a leitura!

Para ouvir o alimento diário no celular:


O áudio do alimento diário é copilado da Rádio Vida Para Todos, do Instituto Vida Para Todos.