Aproveite a vida

Stephanie Fernandes • 29 de Setembro de 2018

“Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”.
(João 10:10b)

       O poeta latino Horácio, que viveu entre 69 a. C. e 8 a.C., inaugurou a famigerada expressão “Carpe Diem”, que literalmente significa “Colhe o dia” ou “Aproveite o Dia”, no sentido de que, diante da transitoriedade da vida, o ser humano deve desfrutar do tempo presente, incessantemente, sem preocupações com o futuro. Esse pensador se baseia em uma corrente conhecida por epicurismo, cujo entendimento consiste em defender a brevidade da vida e assimilar a certeza da morte, devendo o presente ser aproveitado antes que seja tarde.

       Sobretudo na juventude, não é incomum que alguém nos aborde e fale: “Você deveria ‘aproveitar a vida’, enquanto é tempo, pois ela é uma só”. Se você leitor(a), é um(a) jovem cristã(o), tal comentário pode ser ainda mais incisivo, incentivando-lhe a não seguir os caminhos de Cristo tão cedo, muito menos servi-lo, pois poderia se arrepender mais tarde de se dedicar tanto a Deus e a Igreja e “perder seu tempo”, sacrificando sua juventude sem desfrutar de prazeres que não se coadunam com o viver cristão.

       Caro(a) irmã(o), nem todos esses falsos prazeres são pecados eminentes, podem ser boas coisas, como fazer um intercâmbio, ir ao cinema, cursar uma graduação, ter um relacionamento amoroso ou conseguir um bom emprego. Entretanto, tal proveito da vida humana, ao nos apartar da presença e do serviço ao Senhor, desvia o nosso foco da Verdadeira Vida, Cristo, que habita em nós desde quando cremos (cf. Gl 2:20). Por isso, não são poucos os jovens que outrora serviram ao Senhor, mas esfriaram na fé e no amor, tornando-se mais amantes dos prazeres que amigos de Deus (cf. 2 Tm 3:4). Vejamos como este exemplo encontra-se ilustrado na Palavra.

       Em Lucas 15:11-32, há uma conhecida parábola de Jesus, talvez a mais difundida, chamada “O Filho Pródigo”. A narrativa sobre o jovem arrependido que retorna aos braços amorosos do seu Pai inspirou hinos, escritos, literaturas e, sobretudo, corações contritos a se voltarem ao Senhor. No texto bíblico, o Senhor Jesus fala-nos acerca de um homem que tinha dois filhos, dos quais o mais novo lhe pediu a antecipação da herança para dispor da propriedade. Ao recebê-la, o jovem partiu para um lugar distante e gastou tudo o que possuía, vivendo de maneira irresponsável. Em seguida, após um período de devastadora escassez no lugar para onde migrou, o rapaz se viu em condição de miséria tal, que desejou a alimentação dos porcos que cuidava em seu trabalho. Caindo em si, percebeu que a melhor decisão seria regressar ao seu lar, pois até mesmo os servos de seu Pai viviam de maneira mais digna. Ao arrepender-se, seu Pai, prontamente, o recebeu com alegria, restituindo-o à sua anterior condição e comunhão com Ele.

       Qual valiosa lição nos traz o trecho bíblico sobre “aproveitar a vida”? NÃO HÁ VIDA A SER APROVEITADA FORA DA PRESENÇA DE DEUS! Nesse sentido, o que fez do pródigo, de fato, um gastador não se prende aos bens perdidos, mas ao tempo que ele expendeu fora da presença do Pai, deixando de desfrutar da Sua Verdadeira Vida, a pretexto de usufruir da sua juventude. Enquanto estava buscando prazer e alegria fora da casa de seu Pai, o filho perdeu a oportunidade de se relacionar com Ele, de fruir plenamente de suas riquezas, sem empobrecer, mas aprendendo à administrá-las, aproveitando a vida na presença Daquele que o amava.

       Irmãos, não podemos mais perder tempo. A nossa vida passa como um conto ligeiro (cf. Sl. 90:9) e o que nos aproveita nela é o quanto desfrutamos e vivemos na presença do Senhor (cf. Fp 1:21), pois, tudo o mais deve ser considerado como refugo, ainda que seja muito bom e aceitável humanamente (cf. Fp 3:8), ainda mais, quando consideramos o que Deus tem preparado para nós (cf. 1 Co 2:9), não apenas nesta vida, mas no tempo que há de vir (cf. 1 Co 15: 19).

       Exemplifico de modo mais claro. Não precisa cair em grosseiro pecado para perder a oportunidade de Aproveitar a Vida do Senhor. Já parou de ir às Reuniões da Igreja por um período, ainda que curto? Deixou de ir à alguma Conferência ou Reunião da Igreja sem justo motivo? Parou de orar, ler a Palavra e cantar louvores? Afastou-se do viver da Igreja? Agora, lembre-se dos irmãos quando você regressou. Eles estavam desfrutando, crescendo e exalando Cristo. Sua reação, ante o visível desfrute deles, seria arrazoar intimamente? “Devem estar se perguntando onde eu estive nesse período ou que perdi meu tempo ao invés de estar buscando a Deus”. Não, recomece! Sabemos que o que passou não acontecerá novamente, mas Senhor está te concedendo uma nova oportunidade de aproveitar a Vida Dele que habita no seu interior, que é a Vida cujo proveito realmente importa, Aquela que vence a toda morte.

       Na continuidade da parábola de Lucas 15, ao receber o filho arrependido, o Pai, um tipo do Senhor, corre e apressa os seus servos pois o filho que amava retornou. DEUS CORRE. O Senhor do Tempo, o Pai da Eternidade, Aquele que Era, Que É e que Há de Vir diz: Depressa! Ele sabe que somos limitados e não quer que percamos tempo de desfrutá-Lo. Não podemos ficar indiferentes a isso.

       Jamais sejamos pródigos, leitor(a), pois recebemos rica Vida e o tempo do Reino de Deus é hoje. Consumado está. Avie, desfrutemos do que Ele é, tem e faz: Vida abundante!

Últimas fotoss