Igreja em Campina Grande
O Testemunho da Unidade do Corpo de Cristo nesta Cidade.
Horário das Reuniões: Terça-Feira - Reunião de Oração - 20:00Hs.  -  Quarta-Feira - Reunião de Grupo Familiar - 19:30Hs.  -  Sexta-Feira - Reunião dos Irmãos de Seviço - 19:30Hs.  -  Sábado - Reunião Ministérial da Palavra - 19:30Hs.  -  Domingo - Reunião do Partir do Pão - 17:00Hs.
| Inicio | O Que Cremos... | Perguntas e Respostas | Mensagens | Alimento Diário On-line |
| Expansão | Reuniões | Mensagens em Áudio | Programa Fruto da Vida |
| Links | Fotos | Contate-nos | Literatura |
 
Menu
  Início
O Que Cremos
Perguntas
Mensagens
Expansão
Reuniões
Link
Áudio
Encargos
Fruto da Vida
Alimento Diário
Contate-nos
Fotos e Vídeos
Radio Web
Downloads
Compartilhar
Literaturas
Palestras
Informativo
Agenda
Novidade
 
 

A Maneira de Deus

  Recentemente, estava conversando com alguns jovens que, como eu, nasceram na década de 80 acerca dos desenhos animados de nossa infância. Acabamos percebendo uma característica muito forte naquelas histórias. Praticamente todas ofereciam saídas improváveis para os problemas enfrentados pelos personagens. Poppye comia espinafre e vencia o Brutus. Os Ursinhos Gummy recorriam ao suco gummy. He-man e She-Ra tinham, cada um, uma espada do poder. Assim como Lion, dos Thundercats, tinha a espada justiceira.

  Assim, nossa geração aprendeu, de certa forma, que deveria esperar por um recurso externo, que lhe fornecesse habilidades especiais para resolver os problemas. A televisão, as revistas, o mundo, e muitas vezes nossos próprios familiares nos ensinaram a lançar a culpa por nossas falhas em outros ou em fatores externos, e a sempre esperar que algo exterior a nós aconteça para que as situações sejam resolvidas.

  Talvez, não por acaso, algo semelhante pode ser visto na sociedade de modo geral. Os filhos que põem a responsabilidade por suas atitudes e fracassos em seus pais; os cidadãos que vivem esperando que os governantes tomem medidas que resolvam seus problemas – mesmo quando a causa desses problemas não está na omissão do agente público -; e as longas filas em frente às casas lotéricas nas vésperas do sorteio do prêmio acumulado, todos esses são casos ilustrativos desse mal que nos aflige, o mal de pensar que a solução é exterior e virá de repente.

     O GRÃO DE MOSTARDA

  Infelizmente, esse conceito do mundo também invade nossa vida com Deus.

  A maioria dos jovens cristãos tem grande dificuldade em conciliar suas necessidades humanas e seu serviço ao Senhor. Na maior parte das vezes, formação intelectual, trabalho e casamento recebem muito mais atenção que oração, leitura da Palavra e pregação do evangelho. Muitos que se encontram nessa condição, contudo, acreditam que um dia algo ocorrerá subitamente e tudo vai mudar. Às vezes, durante conferências cristãs para jovens, alguns afirmam categoricamente que, diante da Palavra, mudaram súbita e completamente. A Bíblia, contudo, nos dá inúmeros exemplos que mostram que nossa vida espiritual não muda nem cresce assim, da noite para o dia.

  A parábola do grão de mostarda, proferida pelo Senhor Jesus e registrada por Mateus no capítulo 13 de seu evangelho, exemplifica isso. Ali, um grão de mostarda, a menor das sementes, se fez grande árvore, de modo que as aves do céu vieram aninhar-se nos seus ramos (Mateus 13:31-32). As aves do céu, no contexto de Mateus 13 se referem ao Maligno, o inimigo de Deus (v. 19) e seus anjos caídos. Por meio do crescimento anormal daquele grão de mostarda, o Senhor Jesus ilustrou que aquilo fugia ao princípio normal da vida. O resultado foi que o Maligno encontrou, naquela árvore, um lugar propício para afrontar Deus e resistir a Seu propósito.

  Assim, não deseje passar de grão a árvore em algumas horas, ou mesmo em alguns dias. Você não será transformado de maneira abrupta. Não estará livre de suas ansiedades nem de suas angústias de um dia para o outro. Não ache que o casamento lhe trará a tão esperada paz. Nem pense que quando tiver “aquele” emprego, tudo estará resolvido. E saiba que é passividade demais aguardar o dia em que, de repente, seu apreço pelas coisas do mundo desaparecerá. Obviamente, esse dia não chegará. Nem mesmo a volta do Senhor resolverá instantaneamente as questões que deixarmos sem a solução adequada – Ele reservou um período de mil anos para lidar com elas.

  Precisamos entender que a maneira de Deus é a maneira da vida. Ele é perfeitamente capaz de fazer coisas improváveis – e até mesmo coisas impossíveis aos homens -, mas decidiu usar uma maneira orgânica para lidar conosco. Por isso é necessário nascer de novo para ver e entrar no reino de Deus (João 3:3-5). O reino de Deus – as coisas de Deus – requer a vida de Deus. Ele é orgânico, porque é o caminho da vida. Por ser orgânico, é um processo profundo e minucioso, por meio do qual a velha vida que recebemos de Adão é substituída por uma nova vida, a vida de Cristo. Assim, nossa velha pessoa é permeada, saturada e transformada, para ser um novo homem, criado segundo Deus (Efésios 4:24). Deus cresce em nós e nosso velho homem decresce (João 3:30).

  Por isso, o Senhor veio como semeador, para implantar Sua vida em nós (Mateus 13:3-9). Ele nos regenerou para uma viva esperança. Assim, mesmo que haja espinhos, mesmo que haja joio no meio do trigo, não desanimamos (vs. 24-30). Precisamos ser fiéis para alcançar a coroa da vida. Alias, assim como a igreja em Filadélfia, já obtivemos essa coroa e devemos conservá-la, para que ninguém a tome de nós (Apocalipse 3:11). Temos uma porta aberta, temos o nome e a Palavra. Devemos guardar e apreciar o nome e a Palavra do Senhor (3:8), desfrutando deles.

     DESTRUIR SOFISMAS

  Mas, para que isso ocorra, temos de resolver aquele problema de que falamos no início, aquela mentira que nos foi contada – até mesmo por meio dos desenhos animados – muitas vezes e de maneira muito lógica, até que parecesse ser verdade. A mesma mentira que sugere que o socorro, a saída, virá de algo exterior a nós, uma espécie de tábua de salvação.

  Esse raciocínio errôneo, constitui-se de um “axioma improvável”, um verdadeiro sofisma, que deve ser anulado para que possamos viver de acordo com a verdade, de acordo com o caminho da vida, tal como é mostrado na Bíblia. É exatamente esse precioso livro que nos mostra que precisamos destruir os sofismas, pois eles podem se tornar fortalezas em nossa mente (2 Coríntios 10:4). Sabemos que Deus quer nos transformar de maneira paulatina, constante e verdadeira. Mas, ainda assim, temos uma cultura que nos faz preguiçosos para as coisas de Deus, que nos faz esperar uma transformação abrupta no futuro.

  Jovem, não fique preso em um pensamento assim, que constitui uma “fortaleza insegura” – por mais contraditória que essa expressão possa parecer. Temos armas espirituais para destruir as fortalezas e avançar com Cristo. Essas armas são o nome e a Palavra do Senhor, e são imbatíveis. Não há conceito falso que persista quando lemos a Palavra com oração. Não há sentimento duvidoso que resista quando invocamos o nome do Senhor. As maiores distrações são vencidas quando nos apresentamos para propagar o evangelho do reino. Aleluia! Nosso problema está mais do que resolvido, e não foi necessário passar por nenhum evento improvável. Tudo é nosso (1 Coríntios 3:21). O nome de Jesus Cristo e a palavra estão acessíveis. Os serviços da igreja estão abertos a todos. A vida da igreja é nosso “direito líquido e certo”. E é justamente por vivermos a vida da igreja, com essas práticas simples e tão significativas, que somos
transformados. É na comunhão com o Senhor que as coisas são resolvidas.

     ATÉ QUE ELE VENHA

  O Senhor conta com você. Ele anseia por uma geração que não espera, mas age, que apressa o dia de Sua vinda (2 Pedro 3:12. Podemos ser parte da geração final, a geração que vive uma vida real, pregando o evangelho do reino. Quando esse evangelho do reino for pregado em toda a terra habitada, então, todas as mentiras terão um fim. Sejamos parte do exército de Deus, seguindo o Capitão da salvação, o Fiel e Verdadeiro, o Verbo de Deus, que saiu anunciando o evangelho do reino, que saiu vencendo e para vencer (Apocalipse 19:11-16; Lucas 8:1). Aleluia!

Texto extraído da secção "Corre e Fala a este Jovem" do Jornal Árvore da Vida.

Versículo Para Ler e Orar

   
Copyright 2008 Igreja em Campina Grande. Todos os Direito Reservados
Ultima Atualização: quarta-feira, 24 de junho de 2015 12:29:51